8 de outubro de 2016

O brincar como instrumento de ensino-aprendizagem (VAGAS ESGOTADAS)

O BRINCAR COMO INSTRUMENTO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NO CONTEXTO ESCOLAR

Daniele Gazzotti
Nilton Mendes
Samanta Malta

RESUMO:

O brincar (LEONTIEV, 2016; VYGOTSKY, 1934 e 1926) e a agência infantil (FREIRE, 1996; COUSINET, 1949; PONTECORVO, 2005; DEWEY, 1916; VYGOTSKY, 1984, 1984) são elementos chaves, entendidos como instrumentos que colaboram no processo de ensino-aprendizagem, ao mesmo tempo em que possibilitam o estabelecimento e o estreitamento de vínculos afetivos entre os participantes do contexto escolar. Este minicurso volta-se para práticas bilíngues e monolíngues de modo a propiciar a investigação do papel do brincar no desenvolvimento infantil. Tem como objetivo analisar criticamente a brincadeira em contextos escolares, abrangendo o brincar livre, o pedagógico, a performance e a dramatização como atividades que possibilitam tanto a interação entre as crianças quanto o desenvolvimento de cada uma delas. Nele, os partipantes: 1) entrarão em contato com a teoria que nos embasa; 2) conhecerão experiências de outros educadores por meio de vídeos; 3) serão convidados a vivenciar o brincar em uma de nossas propostas. Os modelos de planejamentos e possibilidades de reorganização de currículos que apresentaremos se baseiam em Atividades Sociais (LIBERALI, 2009). A abordagem metodológica na qual esta proposta se ancora engloba os estudos sobre a Teoria da Atividade Sócio-Histórico-Cultural – TASHC (VYGOTSKY, 1934; LEONTIEV, 1977; ENGESTRÖM, 1999; entre outros), o currículo baseado no brincar (VAN OERS, 2013) e a Pedagogia dos Multiletramentos (NEW LONDON GROUP, 1996). Inserido dentro da Linguística Aplicada Crítica, este minicurso visa transformar práticas educativas e o agir dos alunos, dialeticamente, possibilitando novas formas de interação com a realidade.
PALAVRAS-CHAVE: Brincar. Agência. Desenvolvimento. Ensino-Aprendizagem.

voltar